Prefeitura de Campo Grande reabre licitação para equipamentos eletrônicos de fiscalização de trânsito

O certame, do tipo 'pregão presencial de menor preço' será promovido no dia 25 de abril.

28 de Maio de 2018
Prefeitura de Campo Grande reabre licitação para equipamentos eletrônicos de fiscalização de trânsito
A prefeitura de Campo Grande reabriu a licitação para a contratação de empresa que vai instalar e operar equipamentos eletrônicos de fiscalização de trânsito na cidade. O certame, do tipo “pregão presencial de menor preço” será promovido no dia 25 de abril, segundo aviso publicado no Diário Oficial do município desta quinta-feira (12).

Em outubro de 2017 a prefeitura publicou o edital, mas em novembro suspendeu o certame. A alegação foi de que não haveria tempo hábil para o município responder aos questionamentos sobre o processo feitos pelas empresas interessas em participar.

Desde o início do ano passado, quando venceu o contrato da prefeitura com a empresa que operava a fiscalização eletrônica de trânsito na cidade, os equipamentos que estavam instalados estão desligados.

O edital prevê a instalação de equipamentos mistos, que registram excesso de velocidade, avanço do sinal vermelho, parada sobre a faixa de pedestres e conversões proibidas em 109 faixas de trânsito (pistas das ruas), além de radares em 97 faixas, de lombadas eletrônicas em 30 faixas e ainda a disponibilização de de 3 radares portáteis, 50 equipamentos de talonário eletrônico de infração de trânsito, 20 câmeras de monitoramento, uma central de monitoramento, uma de análise de imagens e um sistema de processamento de imagens e infrações.

De acordo com o edital, após a licitação, a empresa vencedora assinará um contrato de dois anos com o município.

Os equipamentos antigos espalhados pela cidade e que estão desligados serão removidos, enquanto os novos dotados de alta tecnologia serão instalados pela empresa contratada.

Segundo a prefeitura, os aparelhos devem contribuir com a melhoria do monitoramento realizado na capital, como também aumentar a qualidade de trabalho dos profissionais da área. Também tende a reduzir o número de acidentes de trânsitos a partir de uma fiscalização mais rigorosa e eficiente.