Licitação dos viadutos depende da autorização do Dnit

24 de Janeiro de 2018
Licitação dos viadutos depende da autorização do Dnit
Embora tenha cumprido todos os rituais e itens exigidos pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), a Prefeitura de Maringá enfrenta atraso nos trâmites legais do órgão para autorizar o processo de lançamento do edital de licitação para construção da segunda pista em seis viadutos sobre o Contorno Norte da cidade.

De acordo com o secretário municipal de Obras Públicas, Marcos Zucoloto, a administração municipal vem se mobilizando para iniciar a licitação desde maio deste ano, quando o prefeito Ulisses Maia assinou, em Brasília, a prorrogação do termo de compromisso com o Dnit para o início das obras.

Na época, o convênio e o prazo firmados entre as duas instituições para execução dos viadutos estavam para ser vencidos, mas como o Plano de Trabalho estabelecido não havia sido cumprido pela administração passada o prazo do convênio foi prorrogado por mais 520 dias.

"A contratação das empresas responsáveis e a ordem de serviço para a construção dos viadutos deveriam ocorrer ainda neste ano, afinal, são obras que exigem rapidez na execução", diz o secretário.

Viadutos

Os viadutos estão incompletos, com uma só pista, em seis pontos de travessia do Contorno Norte.

A construção da segunda pista de transposição é prevista para as avenidas Guaiapó, Tuiuti, Franklin Delano Roosevelt, Kakogawa, São Judas Tadeu e Mandacaru. O termo de compromisso com o Dnit contempla também a construção de um viaduto com duas pistas na Avenida Américo Belay, na altura do Jardim Dias.

Segundo Zucoloto, metade dos recursos do Governo Federal já está disponível para o município e, ao todo, somam R$ 24,8 milhões.

"Providenciamos todo o processo de protocolo, termos de referência, atualização de orçamento, ajustes e correções que nos foram solicitados. Até o detalhamento de vigas foi exigido nos projetos básico e executivo para repassar às empresas. Tudo está pronto e entregue no Dnit, de quem aguardamos agora a autorização para abrir a licitação", conclui o secretário.
Fonte: O diário